Header Ads

Do Netscape ao Napster: o que aconteceu com os gigantes de ontem da web?


O que aconteceu com conhecidos programas que costumávamos usar, como RealPlayer? E o GeoCities? Quem nunca pesquisou com o AltaVista antes de surgir o Google?

A morte súbita e silenciosa do lendário player de mídia Winamp provocou um arrepio em toda a web na semana passada. Simples assim, um software outrora gigante se foi. Mas depois do choque inicial, outro pensamento surge: "Peraí, o Winamp ainda existia?"
E isso me fez pensar: o que aconteceu com todos os sites e programas clássicos que, como Winamp, eram encontrados em praticamente todos os PCs por volta da virada do século? 
A Microsoft apagou Clippy (e com razão), mas qual foi o destino do RealPlayer, por exemplo? Alguns se juntaram ao Winamp na grande lixeira do céu. Outros estão lentamente indo para o mesmo lugar. E por todos os lados, você vai encontrar as sombras gêmeas da AOL e Yahoo.
1. RealPlayer
realplayer
O icônico (e chato) RealPlayer tocava músicas em computadores no final de 1990, principalmente porque - juntamente com Winamp - ele foi um dos poucos disponíveis gratuitamente que reproduzia MP3 de igual para igual com o programa nativo da Microsoft, o Windows Media Player.
Mas antes de vocês entrarem em luto, o software da RealNetworks ainda está vivo e com aplicativos móveis.
O reformulado RealPlayer Cloud mistura mídias, brincando com armazenamento em nuvem e permitindo que você alterne suas músicas e vídeos de um dispositivo para outro via wireless. Viu? Cães velhos podem aprender alguns truques novos (você ainda pode encontrar o RealPlayer autônomo por aí, também).
2. Napster
napster
Enquanto nós estamos jogando acabando com os clichês, vamos manter o "como o mundo é pequeno", porque a história da RealNetworks se entrelaça com a do Napster, o serviço peer-to-peer que iniciou a mania de compartilhamento de arquivos e conquistou uma bela briga com Lars Ulrich, baterista do Metallica.
Músicos raivosos e seus advogados forçaram o Napster a encerrar seu serviço em 2001, e o levaram à falência logo em seguida. O nome Napster passou por diversas outras mãos nos anos seguintes até, ironicamente, evoluir para uma loja de música online. 
Em 2011, o Rhapsody - que acabava de desvincular da RealNetworks no ano anterior - comprou a marca e uniu o Napster ao seu serviço. Ao acessar o Napster.com agora você chega a uma página inicial que diz "o Napster se juntou ao Rhapsody" e o encaminha ao Rhapsody.com - um fim bem tosco para um clássico da Internet.
3. Netscape
netscape
Netscape Navigator foi a janela de entrada para a World Wide Web nos primeiros dias de navegação, antes mesmo do Internet Explorer. O navegador da Microsoft cresceu rapidamente durante as primeiras guerras de browsers, no entanto - com um pouco de ajuda - e, na virada do século, o auge do Netscape há tempos havia sido esquecido.
A AOL adquiriu a Netscape Communications por 4,2 bilhões de dólares em 1998 e continuou com lançamentos para o lendário navegador até 2007, quando o Navigator finalmente foi aposentado
As remanescências da marca Netscape ainda podem ser encontradas no portal netscape.aol.com e no bizarro Netscape Internet Service, que oferece acesso discado à Internet por 10 dólares por mês.
Mas talvez o que surgiu das cinzas do Navigator seja o mais importante. O Netscape abrir o código do Navigator pouco antes de sua aquisição pela AOL: daí surgiu o Projeto Mozilla. Defensora da Web aberta, a Mozilla passou a criar o navegador livre e de código aberto Firefox - um acontecimento que levou a outra geração de guerra dos navegadores Chrome-IE-Firefox de hoje.
4. AltaVista e GeoCities
altavista
A AOL não foi o único peso pesado da era dial-up que acabou com concorrentes quando os tempos eram bons, apenas para matá-los em silêncio quando os holofotes mudaram. 
AltaVista e GeoCities eram o Google e WordPress do passado, respectivamente, antes de serem comprados pela The Purple Machine para somas consideráveis.
Todo aquele ouro reluzente não fez nada para salvar os sites, no entanto. O Yahoo fechou o GeoCities em 2009, ao passo que o AltaVista durou até julho deste ano, antes de sua morte digital (isto não soa nada bem para Katie Couric).
geocities
A homepage do AltaVista simplesmente redireciona para a página de pesquisa do Yahoo agora, mas se você quiser fuçar os projetos da Web dial-up, confira o tumblr One Terabyte of Kilobyte Age Photo Op, que posta screenshots aleatórios de sites GeoCities selecionados a partir de um torrent de 900GB de todas as páginas GeoCities já criadas.
(Por Brad Cahcos)

Nenhum comentário

Faça seu comentário abaixo. Obrigado.

Imagens de tema por hdoddema. Tecnologia do Blogger.